Doe Aqui

Rede-Luz Sul apoia inauguração da Opy (Casa de Orações) da Aldeia Pindoty em Santa Catarina

Início » Notícias » Rede-Luz Sul apoia inauguração da Opy (Casa de Orações) da Aldeia Pindoty em Santa Catarina

Participantes dos grupos da Rede-Luz da Região Sul do Brasil, das cidades de Joinville, Balneário Camboriú e São Bento do Sul, no estado de Santa Catarina, Brasil, se reuniram no dia 1 de setembro para a inauguração da Opy da Aldeia Pindoty, localizada no município de Araquari, cerca 25 quilômetros de Joinville.

Opy é a denominação para “Casa de Oração” no idioma indígena Guarani. O grupo tem uma atividade regular com os indígenas da região desde o ano passado, realizando visitas quinzenais para o atendimento das necessidades que surgem nas aldeias locais. A Rede-Luz deu suporte às aldeias durante a construção da Opy, com o fornecimento de alimento, roupas, calçados, mão-de-obra, e também com a participação em mutirões para ajudar na construção.

A inauguração contou com cerca de 70 pessoas que apreciaram o cerimonial religioso, as apresentações do coral da aldeia e das danças típicas, discurso do Pajé e discurso dos Tiramoys (aqueles que detêm o conhecimento da sabedoria indígena ancestral e dos meios de cura utilizados pelos guaranis). As apresentações foram feitas no idioma Guarani e traduzidas ao português pelo Cacique Roberto.

Após as saudações à Casa de Oração, Opy, que é símbolo do resgate da cultura, da religiosidade e dos valores indígenas, foram feitos os cerimoniais de reverência e gratidão ao Reino Vegetal pelos alimentos ofertados na confraternização e no almoço com todos os presentes.

Para o coordenador da Rede-Luz Joinville, Luiz Aberto, o momento era de alegria para os indígenas da comunidade: “algo emanado do céu dava um brilho novo de esperança em suas vidas… e isso contagiou a todos naquele momento”.

E a professora Roselane Trindade, da escola KiriKue Nhemboea, da aldeia Pindoty, agradeceu a participação da Rede-Luz e acrescentou: “O amor é respeito, mas também é caridade. Vocês nos respeitam com seus gestos de carinho, amor, de esperança de um mundo ou de uma vida melhor”.

O próximo objetivo do grupo junto aos indígenas é a construção de uma “cozinha-armazém coletiva”.

Informações:

redeluzsul@fraterinternacional.org

2017-10-23T17:04:39+00:00 05 outubro 2017|Categories: Destaque, Notícias, Serviço Humanitário|