Doe Aqui

Missão Roraima Humanitária – início das atividades da sede administrativa

Início » Notícias » Missão Roraima Humanitária – início das atividades da sede administrativa

Quinta-feira 14/09 a quarta-feira 20/09

Produção de pães

Equipe da panificação

Na quinta-feira, 14, pela manhã bem cedo, dois imigrantes venezuelanos iniciaram o curso de capacitação, acompanhamento e produção de pães. A atividade acontece de segunda à sexta-feira junto à Rede de Ajuda Solidária de Boa Vista, que trabalha com a Secretaria de Trabalho e Bem Estar Social de Roraima (Setrabes) e com o Centro de Integração à Pessoa com Deficiência. São oferecidos pessoal capacitado e  equipamentos para a tarefa. Neste primeiro momento, o trabalho está sendo acompanhado pelos missionários da Fraternidade – Federação Humanitária Internacional.
“Percebemos que com este novo ritmo de chegarmos mais cedo ao abrigo, sentimos uma integração mais natural e harmoniosa com as tarefas desenvolvidas no dia”, disse Elamed, missionário da Fraternidade.

Durante cada dia são produzidos cerca de 280 pães, que são distribuídos no CRI – Centro de referência ao Imigrante. A farinha utilizada na produção dos pães é doada pelo governo brasileiro. “Eles estão aprendendo a manejar os ingredientes e os procedimentos para fazer o pão. Todo o processo tem de ser feito até ao meio dia”, completou Elamed.

Redes e barracas

Realizada uma reunião com líderes indígenas para atender algumas de suas solicitações. Foi decidido realizar uma pesquisa para saber a quantidade de redes necessárias para o abrigo e quais famílias serão instaladas nas barracas que serão fornecidas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

Reclamações

Escolas vizinhas ao abrigo reclamaram do cheiro de  esgoto vindo do uso do terreno por alguns indígenas como banheiro, e também da fumaça gerada pela cozinha do local que invade pela manhã as salas de aula.

Foi realizada uma reunião com os líderes indígenas para chegar a uma solução para estes problemas.

“É uma situação complexa para os indígenas, pois é um problema individual. Foi pedido ao Acnur a possibilidade de utilizar as máquinas que estão no abrigo para cobrir estes resíduos orgânicos que estão causando o mal odor”, disse Elamed.

Informações sobre saúde dental

Equipe da Rede-Luz realizando coleta de informações

Membro da Rede-Luz, odontóloga, esteve no abrigo com uma auxiliar, e iniciaram  um trabalho com duração de alguns dias de coleta de informações sobre a saúde dental dos abrigados. Foram entrevistadas várias famílias e pessoas, que preencheram uma ficha para o levantamento das informações sobre os problemas e necessidades relacionadas à saúde bucal.

Arames farpado utilizados como varais de roupas foram substituídos por cordas, pois estavam causando acidentes com pessoas.

No período da tarde, os missionários foram ao escritório da Fraternidade em Boa Vista para receberem e organizarem materiais de doação, assim como a logística do local de recepção de doações.

Pela noite, os missionários foram ao Núcleo-Luz de Figueira em Roraima para acompanhar uma transmissão da Fraternidade sobre a Missão Roraima. Também foram organizados alguns móveis da cozinha e da sala de oração e realizados alguns reparos do local.


Na sexta-feira, 15, pela manhã, os imigrantes não indígenas do abrigo realizaram uma reunião para falar sobre situação deles no local e a convivência com os Warao.

Delegado da Justiça Federal visitou o CRI e concedeu ao abrigo o direito de receber o pagamento de fiança de brasileiros por terem saído da prisão. Esses valores já não seriam pagos à Justiça Brasileira, mas passam a beneficiar o CRI.

Obras

Água represada na área externa do abrigo

Continuam as obras de terraplanagem da área externa do abrigo, com o envio pela prefeitura de Boa Vista de materiais de sobra de construção que são espalhados pelos locais onde antes havia mato, tornando o o local mais amplo.

As obras também provocaram uma elevação na parte do fundo do terreno, o que gerou um represamento das águas dos banhos e inundou a entrada lateral e o acesso à cozinha. Com o uso de enxadas, foram abertos pequenos canais que permitiram o escoamento das águas.

“Temos que ter muito cuidado com o represamento de águas. Com o calor que faz na região, e outros agentes, como matérias fecais, pode provocar a proliferação de muitos mosquitos”, disse Elamed.

Estratégias para a correta distribuição das refeições

Reunião para cálculo dos alimentos nas refeições

Com a chegada de mais alimentos doados pelo governo brasileiro e por comerciantes locais, foi necessária a realização de uma reunião da Fraternidade com o Setrabes e colaboradores da cozinha do CRI. Foram verificadas as opções de cardápio e as quantidades corretas dos alimentos no preparo do desjejum, almoço, e outras refeições.

Imprensa

Equipe de jornalistas do Japão visitaram o abrigo e colheram informações para a realização de reportagem sobre as condições dos imigrantes e a viagem deles da Venezuela até o Brasil.

Acompanhamentos médicos

A equipe de missionários começou a implementar a prática de representantes de subgrupos indígenas ou não acompanharem imigrantes do CRI a postos de saúde e hospitais.

“Eles podem servir de intérprete e intermediadores, especialmente para aqueles indígenas Warao que não estão acostumados a este contato. Colaboram assim também para liberar os missionários para outras funções, já que os acompanhamentos levam muito tempo”, explicou Elamed.

Conflito

Por volta do meio dia, um indígena Warao que estava de bicicleta sofreu um assalto, o que provocou uma reação em massa dos imigrantes que estão no CRI para a rua em busca do assaltante. Com isso, foi necessária a intervenção da polícia para controlar a tensa situação.


No sábado, 16, o CRI recebeu a visita do Grupo de Apoio e Proteção aos Indígenas de Roraima que foi ao local para saber as condições dos imigrantes, como segurança, e o uso de álcool e drogas.

Missionários ajudaram no deslocamento de uma família de imigrantes com sete pessoas que estavam no abrigo já há alguns meses, e que foram morar em uma casa alugada. “Isto nos traz alegria e a esperança de que se inicia uma nova etapa para estes imigrantes que vão recomeçar suas vidas em Boa Vista”, disse Elamed.

Ensaio do Coral no Núcleo-Luz

Durante o transporte de uma geladeira doada para essa família de imigrantes, feito na caminhonete do Corpo de Bombeiros, os missionários se depararam com um incêndio em um pequeno depósito ao ar livre de materiais usados. Eles observaram o trabalho dos bombeiros que tiveram de tomar medidas para a extinção do incêndio.

No período da noite, o grupo foi ao Núcleo-Luz de Roraima em Boa Vista e acompanhou uma transmissão de evento da Fraternidade e em seguida participou das atividades do Coral.

Transportando doações para a nova sede administrativa


No domingo, 17, os missionários realizaram atividades de harmonização na Casa de São José e no depósito de materiais e roupas de doação.

Em seguida as doações foram levadas para a nova sede administrativa da Fraternidade, que possui um espaço maior e mais adequado para abrigar tanto alimentos, como materiais de higiene pessoal, medicamentos, e utensílios para a confecção de artesanatos.


Pela manhã de segunda-feira, 18, os missionários participaram no preparo do desjejum no abrigo e colaboraram na tarefa dos imigrantes de limpeza dos banheiros.

Recebida doação de uma vizinha do CRI. Com o valor doado foi possível comprar utensílios para a cozinha do abrigo (talheres, bacias, coador de café) e para o serviço de panificação.

No período da tarde, as atividades foram na nova sede administrativa da Fraternidade. Foram recebidas doações de arroz que estavam na sede do Corpo de Bombeiros e feita a preparação do container para a instalação de prateleiras que irão ajudar a melhorar o espaço de armazenagem.

De noite, o grupo visitou a casa que servirá de hospedagem masculina para os missionários que participarão da Missão Roraima. Foram avaliadas a disposição dos espaços e as necessidades do local.

Entrega de doação


Na terça-feira, 19, foi recebida a doação de um colchão que foi levado para a casa de uma família venezuelana.

Acompanhamento de imigrantes ao posto de saúde para realizar curativos.

Representantes do Ministério Público estiveram no CRI e conversaram com os líderes  indígenas para saber das condições do local e a situação deles no Brasil.

No período da tarde, o trabalho foi na sede administrativa da Fraternidade, com a tarefa do estoque do arroz e a finalização da construção das prateleiras no container.

Equipe manipulando alimentos

Higiene na manipulação dos alimentos

Na área destinada ao manuseio de alimentos e na cozinha do abrigo, começaram a ser implantadas práticas de higiene, com o uso de toucas e máscaras.


Acnur

Na quarta-feira, 20, um grupo do Alto Comissariado das Nações Unidas Para os Refugiados (Acnur) esteve no CRI e iniciou um processo de cadastro com a coleta de informações e fotos de cada pessoa que habita o local. O objetivo é iniciar um processo mais forte de controle da entrada de pessoas no abrigo e na entrega de doações.

Grupo dos Mórmons também esteve no CRI e se reuniu com o Acnur.

Equipe da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) realizou testes para detecção de doenças infecciosas.

Catapora

Atendimentos de saúde da UFRR

Alunos do curso de enfermagem da Universidade Federal de Roraima (UFRR) realizaram atendimentos juntamente com um médico. O resultado foi a detecção de vários casos de catapora, que estão de certa forma relacionados com a qualidade de vida de alguns grupos que estão mais expostos ao sol, à chuva, a alagamentos e manuseio de resíduos.

Coleta de alimentos em mercados da região.

Sede administrativa da missão

Missionários da Fraternidade participando de treinamento do Acnur

A casa que agora serve como sede administrativa da missão na cidade de Boa Vista iniciou suas atividades com o recebimento de novos missionários, que participaram de uma reunião de capacitação com o Acnur. A casa abriga escritórios, parte administrativa, sala de reuniões e também servirá como depósito de doações, como alimentos, medicamentos, entre outras.

Com a chegada de 12 novos missionários, o grupo passa a ter 17 membros ativos nas atividades relacionadas a Missão Roraima. A maioria participou de um treinamento de dois dias dado por representantes do Acnur na sede administrativa da Fraternidade em Boa Vista. O tema foi “Capacitação para Novos Parceiros – Acordo de Parceria de Projeto e Questões de Programa”. O Acnur tem uma parceria com a Fraternidade no projeto “Apoio à Gestão de Abrigos para Venezuelanos em Roraima”.