Doar

“Uma experiência que muda a vida”, expressaram os peregrinos de Belo Horizonte que viveram um dia intenso

Início » Notícias » “Uma experiência que muda a vida”, expressaram os peregrinos de Belo Horizonte que viveram um dia intenso

Desde as primeiras horas da manhã de domingo, dia 11 de novembro, a Casa do Peregrino, do Centro Mariano de Figueira, em um ambiente alegre e impregnado de devoção, graças aos cânticos, recebeu os peregrinos que chegaram da cidade de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais. Um grupo que incluiu viajantes que, pela primeira vez, realizavam esta visita, assim como integrantes da Rede-Luz e Filhos de Maria. Em qualquer dos casos, eles se deram a permissão de empreender o caminho e realizar a vivência de um dia, que alguns denominaram: “Uma experiência que muda a vida”. Desta maneira, organizado pelo Centro Mariano de Figueira e acompanhado por membros da comunidade, deu-se início ao encontro, que posteriormente os levaria a percorrer o caminho desse intenso dia.

O caminho percorrido: Bosque da Harmonia

Após a recepção na Casa do Peregrino, assim que todos começaram a caminhada, a primeira parada foi no Bosque da Harmonia, um espaço verde que sugere introspecção, onde se encontra a Oca, um local cuja construção foi totalmente inspirada nas originárias cabanas indígenas da América do Sul e que, neste caso, é utilizada para vigílias de oração. Com essas características, o bosque foi o melhor local para se iniciar a caminhada. Em círculo, os participantes realizaram uma sintonia, que ancorou uma energia grupal, que logo se manifestaria em cada passo percorrido, em cada local visitado, em cada coração tocado.

Passo a passo em direção ao Campanário

Guiados por monges da Ordem Graça Misericórdia (OGM) e tratando de manter a energia construída na sintonia grupal, os peregrinos continuaram o caminho em silêncio. Em seu ritmo e tempo, cada um foi guiando seus passos até o Campanário, a poucos metros do Portal da Paz, na Colina das Aparições, área do Centro Mariano de Figueira. Uma vez ali, respirando aquele ar sagrado, os peregrinos aguardaram as indicações que os organizariam em dois grupos para os pontos posteriores.

Ermida do Cristo Glorificado e Casa Imaculada Paz

Tanto a Ermida do Cristo Glorificado como a Casa Imaculada Paz são espaços de oração. Ali, os peregrinos puderam permanecer o tempo suficiente que lhes desse a possibilidade de, conscientemente, realizar um momento de interiorização.

A Cruz Azul, selando a experiência

Com o impulso recebido das orações realizadas, os peregrinos foram reunidos em um só grupo e partiram para subir a última seção da colina. Visivelmente animados, eles conseguiram chegar e estar em frente à Cruz Azul, importante símbolo da “presença visível de Deus”. Uma vez lá, encontraram tudo pronto para realizar a comunhão, que selaria a jornada através de todos os pontos sagrados.

Assim, os peregrinos desceram a colina, movidos pelo realizado. Quando outras pessoas se aproximavam deles para saber sua impressão, alguns resumiram que participar de um dia assim, sem saber o que lhes esperava, era permitir-se uma “experiência que muda a vida”.

“Para o peregrino constitui uma prova não ter nenhuma novidade que o anime e que o faça caminhar, pois deve permanecer fiel à meta que se propôs cumprir” (trecho extraído do artigo de Trigueirinho intitulado: “A perseverante entrega do peregrino no caminho espiritual”, publicado no jornal diário O Tempo, de Belo Horizonte (MG), em 27 de agosto de 2017).

Já pensou em ser peregrino?

Para participar destas peregrinações, peça informações ao:

Centro Mariano de Figueira: centromarianofigueira@associacaomaria.org

Secretaria Centro Mariano de Figueira: +55 (35) 9 9947-8638

2018-12-27T21:04:26+00:0025 dezembro 2018|Categories: Centros Marianos, Notícias|