Adolescentes e adultos, beneficiários dos abrigos, terão a oportunidade de aprender técnicas de informática.

Inclusão Digital nos abrigos

A doação de computadores realizada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-SP) à Operação Acolhida, através de uma articulação da Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI), ampliou as capacidades de logística do CCI – Centro de Coordenação de Interiorização, da Força Tarefa Humanitária e possibilitará a oferta de  cursos de capacitação on-line aos venezuelanos acolhidos nos abrigos em Roraima. Através destes cursos será possível realizar a sua inclusão digital, social e oferecer-lhes maiores condições de acesso ao mercado de trabalho.

Estas doações tornaram-se possíveis devido ao empenho do presidente da FIESP, Paulo Skaf, o diretor do SENAI-SP, Prof. Ricardo Figueiredo Terra e Dra. Therezinha Cazerta, desembargadora federal e atual diretora da Escola de Magistrados da Justiça Federal da 3ª Região e Laboratório de Inovação.

Superando os desafios

Com a estabilização dos focos de Covid-19 nos abrigos em Roraima foi possível retomar diversas atividades que haviam sido suspensas, entre elas estão as capacitações on-line.

“Buscamos intensificar a resposta humanitária em meio à crise sanitária buscando soluções que trouxessem novas perspectivas para que os refugiados possam reconstruir suas vidas mantendo a esperança e o ânimo de ter enfim novas oportunidades”, explica o gestor geral da Fraternidade – Humanitária (FFHI), frei Luciano.

Inclusão Digital nos abrigos

Construindo novas alternativas

A montagem das salas no abrigo Pintolândia está dando forma a um núcleo, onde ocorrerão as capacitações e os cursos on-line de ensino à distância, com certificação. Além das técnicas básicas de informática, como a digitação, e a utilização de diferentes programas, também serão formadas turmas para aprendizado em curto período, com carga de 12 a 16 horas, em que serão oferecidos cursos de empreendedorismo e de teor administrativo, capacitando os alunos para futuras oportunidades.

De acordo com a coordenadora dos projetos “Meios de Vida”, Jemima, “o  momento ainda é de construção da grade curricular, a partir das sugestões daquilo que os beneficiários gostariam de aprender”.

Além das plataformas de trabalho já instaladas, como SENAI EAD e Telecurso Profissionalizante, o “Qualifica Brasil”, que a “Operação Acolhida” utiliza para capacitações, será instituída uma parceria com a Universidade Virtual de Roraima, UNIVI, que irá oferecer cursos de informática básica para os beneficiários.

A reestruturação da vida por meio do resgate da dignidade e da inclusão social são compromissos da Fraternidade – Humanitária (FFHI) com os refugiados.