Doar

Peregrinos viveram sua devoção no Centro Mariano de Figueira

Início » Notícias » Peregrinos viveram sua devoção no Centro Mariano de Figueira

Peregrinos de diversos estados do Brasil se reuniram no Centro Mariano de Figueira, no sul do estado de Minas Gerais, especificamente na área rural da cidade de Carmo da Cachoeira. A atividade se desenvolveu entre os dias 24, 25 e 26 de agosto de 2018. Cumprindo com um planejamento organizado pelo Centro Mariano, que os levou a diferentes etapas, os peregrinos puderam, assim, viver satisfatoriamente sua espiritualidade.

“As pessoas vêm até aqui e são tantas as graças que se recebem que é impossível colocar em palavras. Chegamos e recebemos tanto! Só recebemos, recebemos e recebemos da Mãe Maria, Rosa da Paz, e de todas as pessoas daqui. Creio que todos vamos também aprendendo a nos doar com as nossas vindas. Se Deus quiser, eu seguirei vindo a vida inteira com muita fé, amor e infinita gratidão”. Assim se expressou Renata Pinheiro, que veio de Belo Horizonte (MG).

O caminho percorrido

A programação contemplava a participação dos peregrinos por diferentes pontos do Centro Mariano. Assim, na sexta-feira (24), teve início por volta das 18h30, com a Vigília de Oração pela Paz nas Nações, fechando o ritmo do dia com a comunhão ecumênica.

No sábado (25), a partir das 8h da manhã, já estava exposto o Relicário do Castíssimo Coração de São José, abrindo a oração e a comunhão correspondente. O dia foi se apresentando com muito movimento para os peregrinos entre as tarefas do Centro Mariano, o apoio a construções pendentes (que, em um futuro imediato, permitirão receber um número considerável de peregrinos) e as vigílias. Ao meio-dia, foi orado em grupo o Mistério do Rosário. E então, ao fim do dia, os peregrinos participaram da procissão de velas e, em seguida, da atividade que encerrava a jornada, denominada de “Orando com a Virgem Maria”.

Quando chegou o domingo (26), dia final do encontro, a partir das 7h da manhã, os peregrinos se concentraram no alto da Colina das Aparições, na tenda que os receberia para orarem juntos as Mil Ave-Marias.

Durante o dia, todos puderam visitar a Ermida do Cristo Glorificado, a Casa Imaculada Paz, a Praça do Campanário, a Fonte de São José e a Cruz Azul de Emmanuel.

Mil Ave-Marias em uníssono

As Mil Ave-Marias constituíram o ponto alto da peregrinação. Com uma espontânea e entusiasmada devoção, os peregrinos, em grupo, conseguiram, em uma só voz, um só coração, evocar o santo nome de Maria.

“Desde o início, acompanho as peregrinações, venho cada vez que é possível, não perco as Mil Ave-Marias, pois cada rosário rezado é uma batalha vencida. Sinto que é um impulso significativo para mim, para minha vida e para todos os irmãos ao redor, assim como para meu Rio de Janeiro e para todo o planeta. Esse impulso me faz seguir na vida, me faz vir e se faz cada vez mais forte, me fazendo regressar sempre”, comentou Marly Silva do Santos, do Rio de Janeiro (RJ).

Com alegria, entre cantos e um profundo sentir, os peregrinos passaram desde o fervor de uma oração ardente à continuação de sua passagem neste ciclo por um simples e curto caminho guiado pelos monges da Ordem Graça Misericórdia, que os conduziu até o alto da Colina das Aparições, onde resplandecia a Cruz Azul, símbolo da presença visível de Deus. Uma vez diante da Cruz Azul e mantendo a energia construída no exercício espiritual anterior, os monges iniciaram a liturgia que marcaria a entrada à comunhão ecumênica, selando assim um trabalho espiritual de um fim de semana cheio de realizações, a partir de um organizado e alegórico caminho externo, que facilitou a possibilidade de cada um fazer uma viagem interna e viver uma experiência única.

Lucas Souza Sales, de Belo Horizonte (MG), quis compartilhar o seu sentir: “Há vários anos venho com minha família. Agora também trazemos nosso filho de 6 anos. Viemos para cá porque, para nós, é uma bênção estar aqui e participar destas peregrinações. Gostamos de tudo o que fazemos aqui, o que nos leva a refletir internamente e, assim, podemos seguir no mundo externo, em nossa vida normal, além de estarmos recarregados de energia”. Lucas considera que é uma pena que muitas pessoas estejam perdendo esta misericórdia: “Recomendo a todos eles que saibam destas atividades, que venham, que não se percam, pois é uma pena que não conheçam este lugar, o trabalho, que não recebam a misericórdia. Estar aqui e orar é uma entrega para cada um e para a humanidade”, agregou.

A atividade faz parte da frequência mensal que o Centro Mariano de Figueira está imprimindo às peregrinações.

Gostaria de participar destas peregrinações?

Comunique-se com:

Centro Mariano de Figueira

centrosmarianos@associacaomaria.org

WhatsApp: (+55) (35) 99720-5624

 

2018-09-29T10:57:58+00:0028 setembro 2018|Categories: Centros Marianos, Notícias|