Doe Aqui

Missão Roraima Humanitária – ajuda de instituições internacionais

Início » Notícias » Missão Roraima Humanitária – ajuda de instituições internacionais

Sexta 07/07 a 13/07 quinta

Reunião no Ministério Público Federal

Reunião no Ministério Público Federal

Na sexta-feira, 7, pela manhã, foi realizada uma reunião com o Procurador Geral do Ministério Público Federal de Roraima, Defesa Civil, Fraternidade – Federação Humanitária Internacional e um representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur). Foi determinada a necessidade de segurança permanente no abrigo que deverá ser feita pela Polícia Militar do estado.

Missionária da Fraternidade prestou depoimento no Ministério Público sobre a segurança no CRI – Centro de Referência ao Imigrante.

Por volta do meio dia, um grupo de Policiais Militares chegaram ao abrigo e informaram que farão plantão permanente no local.

Equipe da UFRR


Saúde
Encaminhamentos de três imigrantes indígenas com diagnóstico de HIV para um tratamento no hospital da cidade de Boa Vista.

Médico infectologista norte-americano, especializado em doenças tropicais, ligado à Igreja Metodista, realizou oito atendimentos.

Equipe do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Roraima (UFRR) cadastrou famílias e realizou ação de saúde no abrigo. O grupo pretende comparecer todas as semanas e acompanhar os casos de saúde.

Doações
Captação de alimentos e doações de roupas e sapatos.

Missionários prosseguiram na Casa de São José (CSJ) com a tarefa de triagem e organização dos kits de doações de roupas para as famílias.

Visita do Ministro da Justiça
No período da tarde visitaram o CRI o Ministro da Justiça do Brasil e o Presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), que conheceram o local e verificaram as necessidades.


No sábado, 8, um professor de Educação Física do Instituto Federal de Roraima (IFRR) e equipe e realizaram atividades esportivas e lúdicas com crianças e adolescentes do abrigo e ofereceram lanche.

Projeto Acolher da UFRR reuniu indígenas adultos para produzir o roteiro de um filme sobre ervas medicinais.

Treze venezuelanos que trabalham com malabares realizaram atividades com as crianças.

Atividades físicas com as crianças

Realizada partida de futebol entre os indígenas Warao e índios brasileiros da etnia Sanoma que vivem próximo ao abrigo.

Distribuição de roupas, calçados e brinquedos para as crianças. Cada líder indígena Warao recebeu as doações na quantidade correspondente para cada família e depois foi acompanhado no momento da distribuição por três membros da Fraternidade – Federação Humanitária Internacional.

Recebidas doações de mandioca, abóbora, pimentão, banana e mamão, de uma comunidade rural, feita com a intermediação de um professor da UFRR.

Organização de kits de higiene pessoal na Casa de São José.

Conflitos
Na madrugada de domingo, dia 9, imigrantes indígenas reclamaram do barulho e consumo de bebidas alcóolicas no CRI pelos imigrantes venezuelanos não indígenas. Foi verificado que a polícia não estava presente.

Organização de roupas e brinquedos na Casa de São José para posterior distribuição.


Na segunda-feira, 10, houve a distribuição de roupas e brinquedos e a doação de alimentos feita por uma voluntária da Igreja Evangélica Deus é Fiel.

Instituições nacionais e internacionais se reúnem no abrigo
Recebida a visita de representantes de órgãos nacionais e internacionais no abrigo, como o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), a Organização Internacional para as Migrações (OIM), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), e o Ministério do Desenvolvimento Social do Brasil (MDS).

Eles conheceram a situação do abrigo e conversaram com missionária da Fraternidade. “Eles querem contribuir para que o Governo de Roraima dê um passo nestas questões burocráticas para que ocorra a chegada dos recursos que eles já dispõem para ajudar os imigrantes”, explicou a missionária Cláudia, da Fraternidade.

O Acnur já contribuiu para o abrigo na compra de dois bebedouros, materiais de higiene e limpeza para seis meses, 600 colchonetes, 550 redes e mosquiteiros.

Relações Internacionais da UFRR

Reunião na UFRR

Reunião na UFRR com a professora do curso de Relações Internacionais. Estiveram presentes um missionário da Fraternidade e um monge da Ordem Graça Misericórdia.

O objetivo foi verificar como a turma do curso poderia colaborar no abrigo. Foram sugeridas atividades de recreação com as crianças, contato com os jovens, artesanato com as mulheres e aulas de português. Alguns alunos do curso agradeceram o trabalho da Fraternidade com os imigrantes venezuelanos no estado.

Recebida doação de alimentos (batata doce, banana, mandioca) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que foram colhidos na proximidade da cidade de Boa Vista por membros de uma comunidade rural.

Participação em Seminário na Setrabes

Seminário na Setrabes

No período da tarde, a Fraternidade participou do Seminário “Garantia dos Direitos Humanos e Socioassistenciais no Contexto das Migrações e do Refúgio no Estado de Roraima”, que ocorreu na sede da Secretaria de Trabalho e Bem Estar Social (Setrabes).

Na abertura foi enfatizada a necessidade de amparo às crianças do abrigo.

Participaram da primeira mesa do seminário, um juiz e um promotor da Vara da Infância e da Juventude, representantes do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Ministério dos Direitos Humanos e da Secretaria Nacional dos Direitos das Crianças e Adolescentes, do Acnur no Brasil, da Ouvidoria Geral do Ministério dos Direitos Humanos e da Secretaria Adjunta do Setrabes.

A segunda mesa foi composta pela Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Ministério do Desenvolvimento Social e a Fraternidade. Os temas giraram em torno das migrações em Boa Vista e no abrigo.


Na terça-feira, 11, ocorreu o segundo dia do seminário no Setrabes. Foram abordados temas: Análise da Situação da Imigração dos Venezuelanos, Origens e Desdobramentos, Monitoramento e Avaliação das Crianças e Adolescentes em situação de Risco e Vulnerabilidade Social, Direitos e Proteção Internacional para os Imigrantes, Violência de Gênero e o Direito das Minorias e Saúde Reprodutiva, Parâmetros Internacionais para Gestão dos Abrigos, Serviço de Proteção em Situação de Calamidades e Emergências.

No final do seminário, a Secretária Adjunta do Setrabes, apresentou um plano de ação no abrigo com base em um inquérito civil que foi instaurado pelo Ministério Publico Federal.

“Durante a reunião ficou acordado que o abrigo atual será somente para os indígenas venezuelanos. E outro abrigo deverá existir para os imigrantes venezuelanos não indígenas”, disse Cláudia.

Encontro informal
Após o seminário, a Fraternidade foi convidada a participar de um encontro informal com os representantes das instituições internacionais e nacionais, para avaliarem como seria um acordo com a Fraternidade para aumentar a equipe em Boa Vista.

Encaminhamento de três indígenas ao hospital para o acompanhamento de saúde e tratamento de doença crônica.

Recebidas doações de roupas e alimentos do Ministério Pentecostal da Glória de Deus.

Encaminhada à Associação de Venezuelanos no Brasil (Avebras), 12 toneladas de alimentos (oito toneladas de arroz, três toneladas de farinha de mandioca e uma tonelada de leite em pó).

Prosseguem as tarefas do monastério com o incentivo à costura com as mulheres e com a educação dos jovens.

Sesai do Disei Ianomami atendendo no abrigo


Na quarta-feira, 12, o grupo de missionários realizaram atividades internas na Casa de São José, devido a falta de transporte para o abrigo.

Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Distrito de Saúde Especial Indígena (Disei) Ianomami atuaram no CRI, atenderam vários indígenas e fizeram diversos testes rápidos de enfermidades graves.

Quatro mulheres Warao foram convidadas a se retirarem do abrigo por questões de conflito entre familiares.

Equipe da Setrabes servindo almoço


Na quinta-feira, 13, o CRI recebeu duas voluntárias da Nossa Senhora do Migrante e dois casais de uma Igreja Evangélica, que desenvolveram atividades com crianças e adultos. As duas voluntárias também ajudaram na preparação dos alimentos.

Alunos do curso de Enfermagem da UFRR prestaram atendimentos no abrigo.

Recebidas doações de roupas e alimentos.

Mórmons
A Igreja dos Santos dos Últimos Dias (conhecidos como Mórmons) irá suprir as necessidades que ainda não puderem ser realizadas pelo governo, como alimentação e reformas no abrigo.

Acompanhados de um membro da Secretaria do Trabalho e Bem Estar Social (Setrabes), os Mórmons verificaram o local onde será feita a terraplanagem. Também esteve presente a Procuradora Geral do Município, para estudar a possibilidade do início da obra já na próxima segunda-feira.

Neste dia, os Mórmons doaram um computador, um notebook, e uma impressora , e também informaram que irão oferecer o desjejum no CRI a partir do dia 27 de julho, quando termina o compromisso da Prefeitura em fornecer esta refeição.

Imigrantes em Pacaraima
No período da tarde, foi realizada reunião na Defesa Civil de Roraima, com membros da Fraternidade e Acnur para definições do local e tipo de abrigamento que os imigrantes venezuelanos indígenas terão na cidade de Pacaraima. Ficou acordado que, após levantamento orçamentário, poderá ser alugada provisoriamente uma tenda com espaço para a instalação de redes, e para os imigrantes que estão dormindo na rodoviária seriam disponibilizados colchonetes. Foi discutida a possibilidade de membros da Fraternidade assumirem a gestão junto com a Defesa Civil.